segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

A DÉCADA PERDIDA (do ano 2000 a 2010)


A década de 80 foi rotulada pelos historiadores brasileiros como sendo “ A Década perdida”. Período de estagnação econômica, inflação galopante, altos índices de desemprego... enfim, um período que se fosse possível, seria deletado da memória não só do Brasil, mas de toda a América latina.

Eu também tive minha década perdida, como sugere o título do post. Só não me atrevo a dizer que desejaria vê-la deletada da minha memória, mas reescrita, com toda certeza eu gostaria.

Em resumo me dediquei com toda energia da fase inicial de minha juventude aos projetos errados, a pessoas erradas e hoje carrego um “Q” de nostalgia, arrependimento e tristeza. Foram 10 anos de entrega com todo o coração ao serviço cristão que, embora tendo como alvo o Reino de Deus, foi prestado através e nos moldes de uma determinada instituição evangélica e hoje vejo o quanto perdi muito tempo de mnha vida construindo castelos de areia.

Diz a canção de Heloísa Rosa: “... Corro enquanto acredito, prossigo até chegar ao fim. Pra descobrir lá no final, que eu corri atrás do vento...” É exatamente essa a sensação, eu corri atrás do vento. Como eu me sinto frustrado pela minha imaturidade e incipiência na hora de escolher os caminhos da vida.

Não é culpa de ninguém. O Pastor da igreja onde congregava não me obrigou a nada, meus líderes não me forçaram, ninguém me coagiu, nada disso. Eu é que fui inexperiente e não soube perceber nas sutilezas o quanto um sistema maligno me envolvia como um mosquito se prende a uma teia, fina no princípio mas asfixiante no fim.

Fui seduzido por aquilo que minha própria alma desejava. Tudo bem que podiam ter me dito que não era assim e orientado melhor. Podiam, mas ninguém tinha obrigação. Então, não há porque ficar chateado com ninguém.

Fiz o que não devia ter feito e não fiz o que devia, inverti ordens, queimei etapas, não respeitei o time da minha alma sofro as conseqüências disso.

Um grande homem me disse que o Diabo tentaria me vencer de 2 maneiras: Me enchendo de atividades, ou me fazendo casar com a pessoa errada. Certamente, até o fim do ano passado ele logrou êxito com a 1ª opção.

Um amigo me disse que a desilusão foi a melhor coisa que me podia ter acontecido. A princípio não entendi bem mas ele me explicou. Des-Ilusão, seria a perda da ilusão ou melhor, um ajuste na percepção da realidade. Em outras palavras, era arrancar a camada de ilusão que envolvia meus olhos e passar a enxergar as coisas como elas realmente são.

Não há lamento em minha fala, não mesmo. Na verdade Há uma dorzinha aguda e chatinha que fica me martelando dizendo: Se eu pudesse voltar atrás... é mas não posso.

Reclamar não resolve, olhar pra trás só se for pra aprender, murmurar atrapalha e desistir é garantia de derrota. O que fazer então, agora que o verniz se foi e a vida é como madeira cruA diante dos meu olhos.

Antes e acima de tudo, agradecer a Deus. Se Ele não falha e todas as coisas cooperam para o bem dos que o amam, tá tudo bem ou melhor é tudo pro meu bem.

Agradeço também ao Senhor porque não perdi a sensibilidade. Deus me deu uma alma poética, uma mente criativa e não perdi o romance com a vida.

Se os últimos 10 anos foram a década perdida, os próximos 5 anos, parafraseando JK serão 50 anos em 5. Quero ajustar a rota nos próximos 5 anos e batalhar para lançar as bases dos melhores 50 anos da minha vida.
A partir dos 35 começo a viver a fase que pretendo chamar de “Plenitude”.

 Esses próximos 5 anos serão os mais importantes pois serão anos de transição entre duas fases da vida. São nesses anos que, assim José, vou gerar “Manassés” e “Efraim”, que significam esquecer e crescer, ou seja, virar a página e seguir adiante.

Então, de alma lavada e olhar no futuro é que lanço na caixinha do “esquecer”:

• Amigos perdidos
• Calúnias, injustiças, traições
• Decepções
• Dores, tristezas e amarguras
• Lembranças que machucam
• Vozes, rostos e nomes
• Excesso de atividades

Convido para a trilha do “Crescer”:

• Disciplina
• Prioridades
• Planejamento
• Organização
• Menos pessoas, mais intensidade
• Perdão
• Prudência/cautela no falar e compartilhar
• Amizade verdadeira
• Estudo, MUITO ESTUDO, MUITO ESTUDO
• Família
• Mais cinema, livros, teatro e praia
• Escrever melhor e com mais freqüência
• Estudar Inglês, Música e Hebraico
• Cuidar da saúde e praticar um esporte regular (corrida)

Não sei como será daqui pra frente, mas estou certo que o futuro me reserva algo muito melhor. Nascerá um novo Eric, mais feliz, menos complicado, mais solto, menos exigente e muito mais produtivo para o Reino de Deus.

Não sei, mas sinto intuitivamente que os próximos 5 anos serão inesquecivelmente decisivos. Pra não me deixar dominar pela ansiedade, fico com a canção do Third Day:

It’s all right, it’s okay, i won’t worry about tomorrow”

3 comentários:

Fábio SantAna disse...

Amigo mano Erik! Nossa história é tão parecida em tantos pontos, que em alguns momsntos tive a impressão de estar lendo um post sobre minha vida. Graças ao nosso Pai estamos vivos depois de um período tenebroso, mas que foi importante. Nossas marcas, cicatrizes não serviram construtivamente para nossa vida, mas garanto que servirão para outros, que não serão levados para um cativeiro religioso.

A partir de agora, estou definitivamente voltado a "andar" com Jesus e não correr. Definitivamente voltado para o serviço e a necessidade dos irmãos e de igual modo àqueles que não conheçem o Amor que é Deus. Relacioonar-me com aqueles que estão à minha volta, sem críticas, e poder experimentar a bondade, generosidade e carência que essas pessoas tem de um amigo. Tocar a sociedade com o que o Pai me deu. Manifestar Amor.

Então, transformo tudo em agradecimento àquele que, em todos esses momentos, não desistiu de mim!

Grande abraço meu manão! Espero ter mais tempo contigo!

Fábio SantAna.

Eric Jóia disse...

Fabinho,

Quanta honra ter você por aqui. Obrigado pelo comentário.

Fico muito feliz em saber que o que escrevo tocou você de algu]ma maneira.

Lembro de você chegando lá na igreja e sendo a sensação com a sua guitarra fazendo solos em "Deus está chamando..." rsrsrsrs

É isso aí amigo, olhar pra traz, aprender e seguir. Vamos juntos nessa caminhada. Pra onde? não importa, nessa jornda o importante é que já estamos "No Caminho".

Vou aparecer lá na reunião qualquer hora dessas, mas podemos tb comer uma pizza, bater um papo ou visitar um asilo... será um prazer.

Abraço pra ti e pra família Unidos.

Certeza e esperança disse...

Olá Erik !

Não sei se ainda lembra de mim, Milena me enviou seu link e ao ler me deparei com a história da minha vida e fico feliz porque percebo que não estou louca e nem me desviei da fé kkkkk... percebo que esse sentimento tem percorrido no coração de pessoas que de fato se entregaram ao Pai.

É assustador o que Ele quer fazer em nós e através de nós, mas de uma coisa tenho tido certeza que não estou só nessa.

Um abraço em você e na família.
Anita Maria

Related Posts with Thumbnails