segunda-feira, 4 de abril de 2011

A Cruz em mim - Parte I

"...Aquele que quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me..."


Tenho refletido nesses dias sobre o discipulado de Jesus. Ao convidar os discípulos para segui-lo, Jesus estava propondo a eles uma vida de aprendizado diário.  O convite ia muito além do que a frequência a uma classe de estudos bíblicos.

A proposta de Jesus era para a desinstalação, para não encontrar morada fixa em qualquer lugar que fosse, a caminhar sob a orientação do Espírito Santo, a se permitir ser transformado a cada dia.

Jesus abriu sua vida para os discípulos e os convidou a que tivessem o privilégio de observá-lo de perto. Enquanto a multidão o oprimia em busca de milagres, Jesus convidou os discípulos a sair desse nível de conhecimento superficial e interesseiro para algo mais profundo, um nível que os confrontava e exigia deles um posicionamento de rendição e confiança.

Olhando com calma as atitudes de Jesus percebemos o quanto os discípulos foram literalmente desafiados com a convivência do ser humano exemplar que JEsus era, pelo simples fato de fazer totalmente submisso à vontade do Pai.

Contudo, o que quero ressaltar nesse post é a importância das palavras que Jesus proferiu ao chamá-los para segui-lo. Na verdade foram palavras de advertência. disse o Mestre que quem quisesse segui-lo, deveria antes:

1º Negar-se a si mesmo
2º Tomar a cruz

Hoje começo a entender  a importância dessas decisões. Parecem coisas simples, e acho que de certo modo já até se tornaram uma espécie de jargão na boca de muitos que tornaram-nas um clichê.

Mas o que vejo, observando a vida dos discípulos e considerando minha experiência pessoal é que sem negar-se a si mesmo e tomar a cruz, seguir a Jesus se torna uma impossibilidade.

Não há como segui-lo sem aceitar essas condições. Entendam que seguir a Jesus implica observá-lo tão de perto que gradativamente as atitudes dele vão sendo assimiladas por nós. O anseio dos discípulos sempre foi e será ser semelhante ao seu mestre.

Olhando assim, seguir a Jesus significa aceitar o desafio de observá-lo tão de perto que vamos nos tornando mais parecidos com ele a cada dia. Posso garantir que isso é impossível para alguém que não tenha decidido firmemente renunciar o seu ego.

A vida de Jesus está diametralmente oposta às pretensões de nosso ego. Vide que ele nos ensina que para subir tem que descer, quem quiser ser o primeiro seja o último, não andeis ansiosos por coisa alguma, amai os vossos inimigos, se alguém te bater numa face oferece a outra e assim por diante.

A cruz nos coloca em rota de colisão com nosso ego caído e afastado de Deus. Por isso ela é necessária.

Lembrar da cruz não é um exercíco de sentir pena de Jesus. Antes é a resposta positiva ao seu discipulado.

Tenho sido confrontado com essa afirmação... se não aceitei colocar o meu ego na cruz, ainda nem comecei no discipulado de Jesus.

Que eu aceitei, não tenho a menor dúvida, o que anda me consumindo é até que nível eu estou disposto a ir adiante nesse discipulado...???

Continuo no próximo Post

"... crucificados com Cristo, não mais vive o eu..."

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails